Em países como o México e os EUA (principalmente no Estado da Flórida), existem regiões com grandes concentrações de cavernas alagadas, ideais para a prática do "Mergulho em Cavernas", que, segundo especialistas, são comparáveis à região de Bonito MS e municípios próximos. A prática de tal atividade proporciona um grande fluxo turístico nas regiões e conseqüente geração de receitas.

 

Durante a década de 90, com a descoberta e exploração inicial de muitas cavernas alagadas, as cidades de Bonito, Jardim e Bodoquena receberam um grande fluxo desse novo tipo de turismo, formado por “Espeleomergulhadores" ou mergulhadores especializados em "Mergulho em Cavernas”, um turista voltado para a preservação e conservação dos ambientes naturais, principalmente os cavernícolas, e que já demonstrou ser no passado (até o momento da proibição da atividade aqui no Brasil) um grande e diferenciado potencial de exploração do Ecoturismo.  Na região da Chapada Diamantina, no Estado da Bahia, várias cavernas também foram bem exploradas no passado.

 

O Mergulho em cavernas é uma atividade altamente especializada que exige um perfil diferenciado do mergulhador recreativo. Esta modalidade é conhecida como “Mergulho Técnico”, onde o nível de experiência, treinamento, equipamentos e autoconhecimento, são extremamente fundamentais para a segurança do praticante.

 Cave Diving NAUITEC Buraco das abelhas   NAUITEC BRASIL cave diving    nauitec cave diving, JORNADA, nascente salobrinha

O Ambiente de teto, encontrado nas cavernas, exige uma série de procedimentos especiais para a segurança do mergulhador, já que, diferentemente dos mergulhos em águas abertas, não temos o acesso direto para a superfície, regra de segurança primordial no mergulho recreativo.

 

Profundidades maiores do que 30 metros também exigem o uso de gases especiais para reduzir ou eliminar a chamada “narcose” e também a toxicidade pelo oxigênio. Fontes de luz primárias de grande potência e redundantes o suficientes para um retorno seguro também fazem parte das regras. Técnicas de natação adequadas para o ambiente confinado também fazem parte das ‘técnicas para ajudar a manter boa visibilidade da água.

           

 O fechamento das cavernas no Brasil, para a prática do "Espeleomerguho" se deu por força da PORTARIA Nº 89, de 13 de Agosto de 2001 do antigo INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS, que foi posteriormente  revisada pelo CEMEC/CECAV (Conselho Especializado de Mergulho em Cavernas) e publicada na forma de Instrução Normativa IN 100 de 05 de Junho de 2006.  Como ainda não existe um concenso sobre o Plano de Manejo para Cavernas Alagadas, a proibição continua.  

 

A importância da presença dos mergulhadores especializados, nestes ambientes, também é percebida por novas descobertas e também pelas observações e denúncias de agressões às cavernas e ao aqüífero, como por exemplo, degradação de vegetação e criação de animais no entorno, poluição, retirada de água, despejo de agrotóxicos, e muitos outras, que só são observadas com a presença destes. 

 

Os benefícios são notados também na área de Educação Ambiental, pois estes mergulhadores são os principais divulgadores para o público em geral, da importância da conservação e preservação destes ambientes. Um bom exemplo disso é a fama nacional e internacional que a Região conheceu no passado, que ainda é muito lembrada. 

 

          No passado o “mergulho em cavernas” já foi considerada a atividade esportiva mais perigosa do mundo, mas depois de muitos anos de experiências e análises sobre de acidentes, chegaram-se aos procedimentos atuais, que permitem uma formação mais adequada ao praticante, e principalmente, técnicas muito mais seguras, que foram responsáveis pelas mudanças nas estatísticas. Para muitos é a chamada “Fórmula Um” do mergulho. Qualquer mergulhador que deseje se especializar deve obter treinamento específico, para depois começar seus mergulhos em cavernas.

  

          A NAUI – National Association Of Underwaters Instructors é pioneira no ensino seguro de Mergulho no mundo, e seus mergulhadores sempre foram os precursores de diversas regras hoje utilizadas pela comunidade de mergulho.  Considerada a mais respeitada agência de treinamento de mergulho autônomo do mundo, se faz presente nesses treinamentos, através dos seus instrutores que são membros colaboradores da NASA (NBL- Laboratório de Flutuabilidade Neutra). O Programa de mergulho em cavernas da NAUI  se divide em diferentes níveis, de acordo com o treinamento do praticante : Caver , Cave Diver I e Cave  Diver II .

 

         A NAUITEC Brasil, montou ema equipe para mergulho em cavernas, e também lançou o Projeto Cavernas Alagadas da Bodoquena, com o intuito de novamente dar um impluso para atividade no Brasil. No total já foram 4 expedições exploratórias e uma de treinamento, onde foram formados novos mergulhadores em caverna com certificação NAUITEC CAVE DIVER, durante os meses de outubro e novembro de 2010.

 

 Para saber mais

www.nauitec.com.br

www.naui.com.br

http://www4.icmbio.gov.br/cecav/

 

por : Alvanir S. Oliveira "Jornada"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jornada Sub Mergulho
Av. Pedro Blanco da Silva, 665 - Jundiaí - SP
Fone: (11) 4586-5051 
jornadasub@jornadasub.com.br

Fotos meramente ilustrativas

Direitos Reservados 2010 - 4Link E-Commerce